1.7.13

Fanfiction "Live without Life" - 20º Capitulo

Olá boa noite a todos!

Hoje temos novo capítulo de "Live without Life", a continuação da fanfic "Blue Moon" de Tânia Dias. 
Irá ser postada também as Segunda-Feiras, por volta das 21h00.


TÂNIA POV 

FLASHBACK OFF 

Se o meu irmão não nos tivesse interrompido, a esta altura, podíamos já não ser amigos… Embora desejasse que ele não nos tivesse interrompido, ainda bem que interrompeu. Como eu queria sentir a textura dos seus lábios…Abanei a cabeça de um lado para o outro. Senti umas mãos na minha cintura, assustei-me mas soube logo quem era. Ele puxou-me para que eu ficasse sentada, tentei por o meu olhar frio, como é costume mas com o Alec não consigo.

- Que foi? – Perguntou.

- Nada.

- Odeio que façam isso. – Resmungou, fazendo-me olhar para ele. – Foi só um abraço. Não tem nada de mal, não tens que ficar envergonhada. – Só um abraço? Isso é porque não ouviste o que eu estava a pensar. Pensei, mas ao invés disso disse:

- Esquecemos? – Perguntei e estendi a mão e ele apertou-a. Sorri.

- O que fazemos agora? – Perguntou.

- Podias-me ensinar a conduzir.

- Aqui?!

- Claro, há espaço para o carro passar à vontade.

- Tudo bem. – Levantamo-nos e vestimo-nos. Seguimos até ao carro. Sentei-me atrás do volante. – Acalma-te. – Ele foi-me dando dicas durante a lição, até aprendi rapidamente a conduzir.

- Obrigado. – Agradeci, assim que acabamos a lição.

- De nada.

- Que te apetece fazer agora? – Perguntei.

- Não sei…

- Vamos para casa?

 - Pode ser. – Como eu já estava ao volante eu conduzi. Fomos em silêncio até casa, estacionei na garagem. Corri para o meu quarto e tomar banho.

Depois de estar pronta sentei-me na cama, pensei em ir buscar o computador mas alguém bateu à porta. Devagar fui ver quem é que estava a porta, e dei de caras com a Alice, sorri.

- Entra – Ela entrou mas ficou de pé, avaliou a minha roupa, primeiro que tudo.

- Podias ter uma roupa com mais brilho, e que te acentuasse a tua silhueta mas prontos, por ser domingo eu vou perdoar essa roupa. – Revirei os olhos e fui-me sentar na cama.

- Que queres? – Perguntei.

- Eu preciso de falar contigo pudemos ir para a floresta? – Assenti e corremos até à floresta. Quando já estávamos longe o suficiente paramos.

- Queres ir lá para cima? – Perguntei, mas ela já se tinha sentado encostada à arvore. – Sentei-me ao lado dela.

- Tânia, sabes que eu gosto muito de ti, por isso é que vou ter esta conversa contigo. – Começou e eu fiquei ligeiramente assustada.

- Estás-me a deixar assustada.

- Eu vi o que se passou contigo e com o Alec. – Disse por fim. Eu fiquei vermelha, até a raiz dos cabelos. – Calma, eu sei o que tás a sentir… E quero que saibas que podes falar comigo sempre que quiseres. – Disse com a maior sinceridade possível e a olhar diretamente nos meus olhos.

- Obrigado, mas eu não sei o que te dizer…

- Eu compreendo, quero que saibas que eu vi que vocês se poderiam ter beijado… - Voltei a ficar vermelha. – Também sei que não foi a primeira vez.

- Pois não, mas ainda bem que das suas vezes não aconteceu… A nossa amizade é mais importante que uma estupidez qualquer, que se passe por causa dos meus poderes.

- Já pensaste que pode não ser dos teus poderes? E ser mesmo aquela coisa que tu tanto queres acreditar que não?

- Eu sei que é dos meus poderes. – Assegurei. - …pelo menos quero acreditar que sim. – Disse ela. – Já pensaste isso. Eu sei, estás a achar que eu estou a ser irritante. Pera deixa-me terminar. E se pensares nas outras opções, em ouvir o teu coração?

- Não posso. – Sussurrei. – Porque tenho medo do que ele me disse. – Admiti com vergonha.

- Oh Taninha! Temos de saber o que o nosso coração diz, porque o dos outros só vamos saber quando eles o disserem.

- O meu coração só tem um grande amor, e esse amor é o que eu tenho pelo meu irmão o Ian.

- Eu só quero que tu saibas que tu saibas que podes sempre falar comigo. Até porque já estou sincronizada contigo. – Piscou-me o olho e eu não pode evitar sorrir. Levantamo-nos e ela abraçou-me.

- Embora te conheça à pouco tempo, fica a saber que te adoro, minorca. – Disse, e no final ri-me.

- Também te adoro bruxinha. – Sussurrou, abaixei-me para lhe dar um beijo na bochecha. – Já sabes conta comigo para tudo, eu vou estar aqui para te melgar. – Disse rindo-se e fomos em competição até casa. Chegamos e demos de caras com a Nessie e o Jacob. Eles tinha um grande sorriso na cara. Abracei-os assim como a Alice.

- Mas digam lá o porque desse sorriso. – Falou a Alice, o futuro deve envolver o Jacob para ela ainda não saber.

- Eu estou grávida! – Guinchou a Nessie.

 -----------------------------------------------------------------------------------------

Para a semana há mais!

Sem comentários: